Tarde Platina
Operação contra venda de vagas em prisões de MG mira servidores públicos
Divulgação/Reprodução

Operação Alegria, que investiga venda de vagas em prisões de Minas Gerais, cumpre 29 mandados de busca e apreensão

A Polícia Federal cumpriu na manhã desta quinta-feira, 8, 29 mandados de prisão preventiva e 45 de busca e apreensão referentes à Operação Alegria, que desarticula um esquema de venda de vagas em unidades prisionais do estado de Minas Gerais. Os mandados são cumpridos em 15 cidades diferentes, entre elas, a capital Belo Horizonte. De acordo com a PF, servidores públicos e advogados fariam parte do esquema de corrupção dentro do sistema penitenciário em conluio com uma organização criminosa.

O esquema da organização criminosa contava com venda de vagas em pavilhões específicos e até mesmo entrada de objetos proibidos dentro das unidades penitenciárias. Além disso, alguns dos detentos considerados como “de alta periculosidade”, que não têm direito ao trabalho, foram transferidos de unidades sem permissão devida. Apesar de mandados serem cumpridos em 15 cidades mineiras, duas unidades prisionais da Região Metropolitana de Belo Horizonte teriam a maior quantidade de desvios do tipo.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O nome “alegria” foi dado à operação porque, durante as investigações, os policiais descobriram que alguns membros da organização criminosa participante do esquema se referiam à penitenciária de segurança máxima Nelson Hungria como “Nelson Alegria”. Os presos podem responder por participação em organização criminosa, corrupção ativa, corrupção passiva e concussão. A pena máxima de cada um deles pode chegar a 20 anos de prisão.

 

Fonte: Jovem Pan

 

Leia também
Violência contra animal

Cão é resgatado de situação de maus-tratos e dono vai preso em Ituiutaba

Segundo A PM, Pitbull foi encontrado em ambiente insalubre, muito magro e apresentou corrimento ocular.   Na segunda-feira …

Há 6 dias atrás - 53
Noticias,Brasil

Mulher é presa após cometer ataque homofóbico e racista em São Paulo

Objetos foram jogados no chão e contra pessoas pela advogada de 45 anos, indiciada por lesão corporal, injúria …

Há 1 semana atrás - 56
Politica

Alexandre de Moraes vai presidir comissão sobre ataque hacker ao TSE

A Comissão de Segurança Cibernética deve acompanhar a investigação da Polícia Federal sobre os ataques virtuais sofridos pelo …

Há 1 semana atrás - 87